O Equilibrista (2008)

man-on-wire

Quem me conhece sabe que sou cinéfila assumida, adoro assistir filmes, dos mais variados gêneros possíveis (ok, alguns eu prefiro não assistir mesmo). Desde filmes cults a comédias românticas, passando por algumas comédias. E claro, filmes dos meus diretores favoritos! Adoro documentários, mas confesso que não assisto com tanta frequência. São poucos os que chegam aqui no Brasil, e quando chegam, passam em pouquíssimos lugares por pouco tempo. Mesmo assim, assisti hoje o ótimo O Equilibrista (no original, Man on Wire), do diretor James Marsh.

O filme ganhou o Oscar esse ano de melhor documentário, mas até já tinha esquecido esse detalhe. Odeio o “burburinho” que certas pessoas fazem com filmes vencedores/concorrentes do Oscar. Muita gente vai assistir só para depois poder dizer que já viu tal filme. Isso me irrita profundamente, gosto de poder ver o filme e apreciá-lo da melhor maneira possível. Gosto de observar a fotografia, as atuações, as locações, … e principalmente a trilha sonora! Dificilmente assisto um filme só porque a maioria das pessoas já o viu e ficam falando sobre ele.

Desabafos à parte, confesso que gostei muito do doc, que narra a saga do francês Phillipe Petit, o tal equilibrista do título. Ele ficou famoso no mundo todo ao atravessar torres somente em cima de um cabo, como os equilibristas dos circos. Ele passou a vida inteira treinando, e atravessou as torres da Catedral de Notre-Dame em Paris e a Harbour Bridge em Sydney. O documentário mostra a preparação dele e de sua equipe para poder fazer o mesmo nas torres gêmeas do World Trade Center, em 1974. Cenas reais (bem como fotografias) são misturadas com atores reencenando todo o plano arquitetado pelo francês.

Algumas cenas são de tirar o folêgo, mesmo para aqueles que não tem medo de altura. Chega ser emocionante, de arrepiar mesmo. Até porque o doc em si não deixa de ser uma homenagem às torres gêmeas. O filme termina com Petit dizendo as seguintes palavras, que me fez pensar bastante depois:

“Para mim, é tão simples que a vida deva ser vivida perigosamente. É preciso exercitar a rebelião. Recusar-se a ficar preso a regras. Recusar o próprio sucesso. Recusar-se a se repetir. Ver cada dia, cada ano, cada ideia como um verdadeiro desafio. E então você vai viver a vida em uma corda bamba.”

oscar

Foto: James Marsh, Phillipe Petit e Simon Chinn.


Anúncios

3 comentários a “O Equilibrista (2008)

  1. Reescrevendo pra vc ó: “Desde filmes cults a comédias românticas, passando por algumas comédias, e ainda, aqueles “filmes de menino” que meu namorado me obriga a ver” :P
    heheheh

    beijo, linda! =***

  2. Pingback: Annie Leibovitz : A vida através das lentes (2008) « Almond blossoms

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s