500 dias com ela (2009)

Já tem um tempinho que assisti “(500) Days of Summer” (no original, em inglês)  no cinema – mais precisamente, no Festival do Rio – e queria fazer um post a respeito. Acabei esquecendo, os dias foram passando, enfim. Li dois posts muito legais sobre o filme, aqui e aqui, e acabei me animando também!

Como é dito bem no começo no filme, não trata-se de uma história de amor. Pelo menos não nos padrões hollywoodianos com que estamos tão familiarizados. Sabe aquela história repleta de clichês, com um final feliz e totalmente previsível? Pois então, pode esquecer. Aqui tudo é diferente. É um filme bem real, mostra que em um relacionamento nem tudo são flores, que só porque uma pessoa diz “Eu te amo” não significa que elas viverão juntas felizes para sempre. Relacionamentos são construídos e desfeitos, como acontece com a maioria das pessoas.

A história começa assim: Tom, que acredita fielmente no amor, se apaixona por Summer (entenderam o trocadilho do título original?), que por sua vez não acredita em tal sentimento e não responde da mesma maneira que Tom em relação aos seus sentimentos. A partir daí, o diretor estreante Marc Webb (famoso por dirigir videoclipes) mostra o desenrolar do relacionamento deles, desde o primeiro dia em que se conhecem, até o último dia, o tal 500º. Porém, ele não faz isso de forma linear. Ele mistura os dias, de maneira que uma hora estamos no dia 55, depois vamos para o 430 e depois de voltar para o 21, e por aí vai. Acho que aí que está a graça do filme.

Um dos personagens principais do filme é, sem dúvida alguma, a trilha sonora, que se encaixa perfeitamente na história repleta de influências da cultura pop (The Smiths, Joy Division, Belle & Sebastian, Ringo Starr, só para citar alguns). Tem Doves, Regina Spektor, Smiths, Carla Bruni e até Hall & Oates (em uma das melhores sequências do filme!). Me lembrou muito as trilhas de Garden State e dos filmes do Wes Anderson. Eu fã de indie do jeito que sou não resisti. É uma delícia ouvir! Em uma das cenas mais fofas, na minha opinião, a ótima – e linda! – Zooey Deschanel canta um trecho de uma das minhas músicas favoritas, “There is a light that never goes out”, dos Smiths.

Vamos combinar também que o personagem do Joseph Gordon-Levitt, que faz o Tom, é uma gracinha, né? Do tipo pra levar pra casa e casar!

 

Aqui o trailer, super vale o clique:

 

Anúncios

3 comentários a “500 dias com ela (2009)

  1. Ju,
    Obrigada por deixar o link do meu blog aqui!!! :)
    Além de tudo que foi dito, também gostei muito do estilo retrô do filme. Queria andar por aí com aquele figurino!! :)
    Beijos e um ótimo feriado!

  2. leva esse cara pra casa então!!! grrrr!!!
    hauehuaeahue

    eu te amo e vou ficar com vc pra sempre! não adianta qrer me dispensar, tá?! :P
    heheheh

    beijooo =***

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s